Leandro Portella

Pare o inverno que quero o calor

Posted on abr 29, 2016

“Procuro família carioca interessada em hospedar cadeirante gaúcha durante a temporada de inverno. Serão analisadas com prioridade propostas de famílias que residem em Copacabana, Ipanema, Leblon e Leme. Garanto ótima companhia, boas risadas e o material do cat. Tratar aqui… Odeio frio! Pronto, falei!!” Carlena Weber

A postagem da minha amiga em uma de suas redes sociais relata perfeitamente o sentimento das pessoas com lesão medular quando o inverno se aproxima. Mas porque sentimos tanto frio?

Um ser humano saudável é capaz de conservar temperatura corporal em torno dos 36º C, independente do ambiente que ele se encontra. No tempo frio, o organismo sente a temperatura mais baixa e através da medula espinhal nosso cérebro recebe a informação, provocando a vasoconstrição (processo de contração dos vasos sanguíneos, em consequência da contração do músculo liso, processo este usado na regulação da temperatura) e também nos diz a necessidade de colocar mais roupa para nos aquecer.

A maioria das pessoas com lesão medular completa perdem a capacidade da vasoconstrição dentro dos dermátomos afetados, o paciente se tornapoiquilotérmicos, apresentando maior variação da temperatura corporal, e necessita de um controle rigoroso das suas condições ambientais. Por isso, nós lesados sempre sofremos com as mudanças de tempo e com a chegada do inverno, pois em um ambiente frio, o organismo não é capaz de obter as mensagens do cérebro que o corpo está esfriando, e exposto ao frio, a pessoa irá em breve tornar-se hipotérmica (temperatura a baixo de 35 C), terá aumento dos espasmos, dores nos membros e fadiga muscular.

Em uma entrevista na Tv Comunidade Moda, a Deputada Federal Mara Gabrilli (tetraplégica) quando perguntada “Como é que você escolhe sua roupa” ela diz: “Olha, a primeira atitude que tenho para escolher a minha roupa é olhar a temperatura no jornal, não consigo avançar no pensamento de que roupa vou pôr se eu não souber a temperatura”. Ao longo dessa vida de lesado, ouvimos e testamos muitas coisas para evitar ou pelo menos amenizar essa “tortura” que é o frio sentido por nós lesados medulares. Então é importante evitar ambientes frios, usar roupas grossas, luvas, gorro, um aquecedor elétrico, líquidos e comidas quentes, banho de sol são importantes e o que mais me ajuda é um lençol elétrico que ganhei dos meus amigos, porem é necessário sempre ter muito cuidado para não superaquecer o corpo, provocar queimaduras ou desidratar-se.

Uma outra opção se nada disso resolver, a solução é fazer igual o sugerido pela postagem da minha amiga Carlena…rs

Fonte: Leandro Portela no Vida Mais Livre

468 ad